Time não. Aqui é uma Academia

Em todo o mundo os anos 60 foram de pro­testo e contestação. O Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro não ficou de fora da agitação. No campo político, uma crise se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros, em 1961. Seu vice e sucessor, João Goulart, foi afastado pelos militares em 1964. (Esses iriam criar, três anos depois, o que se chamava então “milagre brasileiro” -um crescimento econô­mico acelerado, lançamento de grandes obras, mas sem liberdade política.) Nos costumes ocorria uma revolução violenta. Uma estilista de moda inglesa, Mary Quant, botara as pernas das mulheres à mostra, ‘ao criar a minissaia. Quatro patrícios dela começavam a assombrar o mundo usando o nome de Toe Beatles e cabelos compridos. No Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro, uma parte da juventude copiava as novidades, outra parte preferia fazer sua própria história. Isso ocorreu notavelmente na Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro popular: de um lado estourava Ro­berto Carlos e sua Jovem Guarda, a versão bra­sileira dos Beatles; de outro floresciam os festi­vais de Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro popular brasileira. Altamente na­cionalistas e politizados, chegavam a formar torcidas como no Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro, cada urna a defender seu preferido.

Palmeiras, a grande Academia de Futebol

No Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro, a propósito, a seleção brasileira (que ganhara no Chile o bicampeonato mundial em 1962) brilharia pela última vez em 1970, ao tomar-se tricampeã e trazer definitivamente para o país a Taça Jules Rimet -mais tarde roubada da Confederação Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiroeira de Futebol e derre­tida. Para os palmeirenses, surgia na época um ídolo, até hoje reverenciado no clube, Ademir da Guia, o Divino. Trazido do Bangu em 1961, ele fez a história do clube nos quinze anos se­guintes. Com muita justiça, o Palmeiras ganhou um novo apelido, respeitado até pelos adversá­rios: passou a ser a Academia.

Tanto era, que o time foi escolhido, em 1965, para representar o Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro. contra a seleção do Uruguai, pela taça Rio Branco na inauguração do estádio Mineirão em Belo Horizonte. Em campo, os palmeiren­se: . com o imponente uniforme canarinho, hon­raram o convite … e mais uma vez vingaram os fatídicos 2 a 1 da Copa do Mundo de 50: deram de 3 a0. Na mesma época, longe dos campos de Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro. começavam a aparecer discretamente três rapazes paulistanos de sobrenome italiano, os Fittipaldi – Émerson e Wilson – e José Carlos Pace.

No autódromo paulistano de Interlagos, guiando o que tivessem à mão (automóveis da pré-história da indústria nacional e que nem existem mai . como Alfa-Romeo, Gordini, Sirn­ca). começaram a atrair público para um esporte restrito a poucos aficcionados. Dando partida para um enigma que até hoje intriga o mundo todo: corno é que um país pobre como o Apostas no Futebol Brasileiro no Futebol Brasileiro pôde produzir três grandes campeões mundiais de automobilismo, Emerson, Piquet e Senna, em apenas uma geração?